Atravessando esse portão, convidamos você a ouvir os sons da natureza e a tirar os sapatos, pisar com os pés no chão e encher os pulmões de ar. Uma grama bem verde e um Cerrado pouco alterado te receberão, para conhecer uma proposta de educação que se propõe a ser inovadora, criativa e ter a autonomia responsável como princípio.
Acreditamos na escola como um lugar de trocas de saberes, espaço de diálogo, no qual a aprendizagem se constrói na relação consigo mesmo, com os outros e com os conhecimentos históricos e cientificamente acumulados pela humanidade. Natureza, movimento e diversidade são eixos que acompanham o fazer pedagógico do trabalho desenvolvido. Estes estão presentes nos projetos feitos pelos estudantes e professores, no cotidiano das ações e na forma como nos relacionamos com a comunidade e com o território.

Atualmente oferecemos essa proposta para crianças de toda Educação Infantil, a partir de 1 ano, e também Ensino Fundamental – anos iniciais e finais, até o nono ano.
As turmas recebem nomes de árvores, e desta forma por aqui abrigamos, além de muitos pés retorcidos do Cerrado ao nosso redor, nomes como Hibisco, Guapuruvu, Festuca, Faveiro, Duguetia, Embaúba, Caliandra e Angelim, que tornam-se forma de tratamento e identificação de grupo.

Política faz parte da vida. Inspirados em Paulo Freire, buscamos fazer “o inédito viável” à medida que nos confrontamos com a lógica vigente de educação. Entendemos que educar é um ato político sempre que se compromete com a transformação social e com caminhos que possam amenizar desigualdades sociais. Com a mesma inspiração, trazemos a ideia de que “a esperança precisa da prática”, e essa prática pode acontecer a qualquer instante e deve ser ensinada desde sempre.